Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em Saltos Altos

15
Jun17

Mas porque é que os homens não tem período, ãh? | #segundoelas

emsaltosaltos

diminuir_colicas_menstruais-21755711.jpg 

Sim. Porque é que os homens - esses serzinhos com quem a natureza foi tão generosa - não têm período? E porque é que nós, mulheres, que andamos sempre a apregoar a igualdade de género ainda não nos dedicamos a inventar uma coisa que se assemelhe e que os faça sofrer o mesmo que nós uma vez por mês? Inventa-se tudo neste mundo, também se havia de inventar isso.

Não quero aqui parecer injusta, porque pessoalmente nem tenho razão de queixa. Os homens com quem me cruzei na vida - e devo dizer que a minha amostra é reduzidissima - foram sempre bem compreensivos. Mas também sabemos que a maioria não é assim. Eles bem dizem que compreendem, até nos fazem um cházinho e trazem-nos o bom do analgésico, mas depois esquecem-se logo a seguir e, entre dentes, insinuam que estamos a dramatizar. Nós não dramatizamos. Esta treta DÓI MESMO P'RA CARAÇAS, está bem? Pelo menos para a maior parte das mulheres dói. Que ainda há algumas que mal se dão conta dessa fase do mês - e ainda bem. Infelizmente, não existem truques ou fórmulas mágicas. Cada mulher é uma mulher e cada corpo, um corpo. Por isso, também cada mulher deve ser compreendida de forma individual.

A boa da verdade é que a grande maioria das mulheres fica seriamente afetada a nível físico e emocial durante a menstruação. E eu acho honestamente que é preciso falar disto. Porque a vida não pára durante os dias em que o nosso corpo parece sofrer uma transformação. As obrigações do dia a dia são as mesmas, ou mais, o despertador não tem compaixão e às vezes, para mal dos nossos pecados, ainda temos que parecer lindas e maravilhosas quando nos sentimos umas lontras. Sim, também há esse lado meus caros. Isto não é só doer. Nós inchamos imenso. Na barriga, nas pernas, nas mãos... em todo o lado. E ficamos com olheiras e de mau humor. Pois é. Não é mito, nem somos nós a fazermo-nos de coitadinhas. Chamam-se fenómenos fisiológicos e que se encontram totalmente fora do nosso controle. Alguns métodos hormonais podem dar uma ajudinha, mas raramente resolvem por completo. Aliás, às vezes até complicam - e falo de experiência. 

Quem nunca teve de faltar às aulas ou ao trabalho por estar com dores e maus estares realmente incapacitantes? E isto corre tudo mais ou menos se a chefe for uma mulher e até nos poder perceber, mas se for um homem eles raramente se compadecem. Talvez eles não tenham a culpa toda. Talvez não tenham sido devidamente sensibilizados para a questão. Talvez tenhamos de ser nós a ir fazendo esse trabalho. Porque ele é necessário. Não digo que devêssemos ter folga todos esses dias do mês - até porque algumas mulheres se aproveitariam bem disso - mas defendo que deveríamos poder faltar de forma justificada recorrendo a esse argumento. Porque nenhuma de nós vai a correr para o médico com cólicas menstruais, porque sabe exatamente a causa e o (não) tratamento, mas elas podem na verdade ser bem mais incapacitantes que uma dor de garganta atestada pelo médico. E eu acho que é disto que é preciso falar. Porque nós, armadas em fortes, fazemos de tudo para que ninguém note em que altura do mês está o nosso ciclo, mas a verdade é que nem sempre é fácil. E aqui tenho a certeza que milhares de mulheres me subscrevem. E é por essas todas que nenhuma de nós deve ter medo de dizer que está mal quando está mal e que o motivo é estar com o período. Deixem-se de vergonhas. E se calhar os homens assim também se deixarão de falsos moralismos. Porque serão obrigados a conviver mais com o tema, a procurar sobre ele e a entende-lo. E se calhar vão ser eles mesmos a explicar-nos que não têm período, mas têm, por certo, uma série de outros dramas que nós estamos longe de imaginar. Como em tudo, a chave está na compreensão. Porque no fundo, tivessem eles período ou não, seríamos sempre diferentes.

1 comentário

Comentar post