Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Em Saltos Altos

26
Jan17

Vamos lá então falar do meu cabelo...

emsaltosaltos

IMG_7850.JPG

 

Quase todos os dias há meninas que, quer por aqui, quer pelo facebook me questionam acerca do meu cabelo. Como foi ficar loira, como cresceu tanto em tão pouco tempo, que cuidados tenho,... Ora pois bem, eu não sou cabeleireira, mas tenho uma em quem confio a 200% e talvez esse seja o segredo. A minha cabeleireira é daquelas que sabe mesmo o que está a fazer sabem? E que se nos dissermos que é meio dedo, é só meio dedo. O sonho de qualquer uma não? E por ela ser assim eu confio-lhe a minha juba completamente. Se ela me disser que é melhor cortar porque está a precisar, então é porque é mesmo melhor. Ou se me disser que devíamos fazer x ou y à cor, então siga. E este é o primeiro conselho que posso dar-vos: confiarem mesmo em quem vos trata do cabelo. Porque, sem isso, nada feito. Vão ficar sempre inibidas e com medo de arriscar. E a resistência nunca nos levou a lado nenhum. Pois bem, há quase um ano cheguei à cabeleireira passadinha da cabeça e decidida a ser, finalmente, loira. Na altura tinha o cabelo comprido, sem corte, e entre um castanho claro e um alaranjado já nas pontas. Ia decidida a mudar. O corte e a cor. E a minha cabeleireira, como já me conhece -e para evitar a terceira guerra mundial depois- aconselhou me a ir aos poucos. Decide-me, na altura, por um corte reto, pouco abaixo dos ombros, e por algumas, poucas, nuances mais claras na parte inferior. (Desculpem-me as cabeleireiras se estiver a utilizar mal a linguagem técnica, não é o meu forte). Na altura adorei a mudança, fiquei super feliz, sobretudo com o corte. Adoro cabelo comprido, mas devo confessar que ver as fotos com o cabelo assim é uma tentação constante. Adiante. O corte estava óptimo, mas a cor continuava a deixar-me a querer mais. Mais loira. E então voltei ao salão. Mais duas vezes, até ficar como eu queria. E ficou. Levou tempo, mas a minha cabeleireira disse que tinha de ser, para o bem da minha saúde capilar. E eu fui paciente. Entretanto, talvez por andar com cuidados redobrados devido à cor, notei um aumento significativo no crescimento. E olhem que o meu cabelo nunca foi de crescer muito. Aliás, cresceu sempre pouquinho. Por isso, gostava muito de vos ajudar mas também não tenho mais explicações. Tem crescido, olhem, porque lhe apetece. E eu, feliz da vida, aplaudo a sua boa vontade. Durante este processo todo ainda tive a magnífica ideia de fazer franja. Mal dos meus pecados. Arrependi-me no dia a seguir. Felizmente, hoje já cresceu e já posso dispensar os travessões e as fitas. Na altura, fez sucesso entre os meus amigos e toda a gente adorou. Mas eu, meus amigos, não conseguia ver-me assim. Não que eu achasse que ficava feia, mas não tinha nada a ver comigo, com o meu estilo e a minha personalidade. Como vos dizia, foram precisas três (longas) tardes, devidamente espaçadas, para chegar à cor que tenho hoje. Um loiro do qual gosto muito, sobretudo porque tem um acabamento luminoso, natural, com vários tons e que combina perfeitamente com a minha pele. Diz a minha cabeleireira que eu nasci para ser loira e que este tom me assenta na perfeição, física e psicologicamente. Porque ela diz, e eu concordo, que antes de sermos loiras, ou morenas ou ruivas por fora, nos temos que sentir assim por dentro. E eu sinto-me, de verdade. Talvez por isso é que toda a gente ache que me favorece.

Captura de ecrã 2017-01-26, às 01.09.14.png

Para conservar a cor, todos os meses faço banho de cor e, apenas quando é preciso e a raiz já pede muito, retoco as madeixas. Quanto aos cuidados que tenho agora, continuo a utilizar como base os produtos Pantene - a que sou fiel há muitos anos - e uso além disso um champô para cabelos loiros, uma máscara e um finalizador. Lavo o cabelo, salvo exceções, de dois em dois dias. Evito a prancha de alisamento e uso o secador só para as raízes. Felizmente tenho um cabelo que seca rápido. No final da lavagem, ainda que com muito custo, passo o cabelo em água fria, para conseguir algum brilho extra. Sinceramente, nunca fui muito paciente para tratamentos e cuidados extra, mas percebi que só assim conseguia conservar um cabelo loiro, longo e, mais importante que tudo, saudável. Não sou, como vêem, um guru da coisa, mas tento manter-me informada e fazer o melhor. Espero ter ajudado. 

Captura de ecrã 2017-01-26, às 01.09.16.png