Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

emsaltosaltoss

19
Jun18

Socorrooo... Tenho de fazer a mala! E agora?

emsaltosaltos

 

Captura de ecrã 2018-06-19, às 12.51.22.png

 

Captura de ecrã 2018-06-19, às 12.51.25.png

 

Captura de ecrã 2018-06-19, às 12.51.27.png 

O post de hoje pretende salvar (ou pelo menos ajudar) muitas pessoas que têm por estes dias mini-férias e que andam às voltas com o que levar na mala. Eu fui, durante muito tempo, aquela maníaca que levava um malão gigante para dois dias e que depois, mesmo assim, nunca tinha nada de jeito para vestir. Mas a vida, talvez por bem, obriga-me há uns anos a esta parte, e cada vez mais, a andar sempre com a mala de um lado para o outro e por isso eu fui criando certas regras e percebendo os melhores truques para ser prática e organizada. Não sou um guru do assunto e a única coisa que tenho para partilhar convosco é a minha experiência. Ainda assim, espero que ajude.

De forma geral, seja lá para onde for que vá, há coisas que levo sempre – sempre – na mala. A saber: os meus cosméticos organizados naqueles frasquinhos pequenos maravilhosos -  e isto vale se vou de avião ou de carro, porque acho mil vezes mais cómodo do que andar com as embalagens enormes atrás. Hoje em dia é super fácil encontra-los em qualquer lado e alguns até já trazem etiquetas para os identificarmos ou tampas de cores diferentes para ser mais fácil. Ainda na área da cosmética, e para poupar espaço, levo sempre a escova de dentes num daqueles kits mini, já com pasta e tudo – para poucos dias, faz bem o efeito. E depois, maravilha das maravilhas, descobri na Primark a prancha de cabelo que nunca tiro da mala. Uma coisa mini, que custou 6€, e que faz milagres na minha franja e no meu cabelo em geral. Não é a coisa mais profissional do mundo, mas para o meu cabelo chega e sobra e sempre pesa menos. E como eu sou rapariga que dorme mal com claridade também nunca deixo ficar uma daquelas máscaras para dormir (as mais giras são as da Zara Home e eu adoro sentir-me uma star com elas). Na área do descanso, meus amores, convém também levar um pijamita – coisa assim fresca e leve, sobretudo se forem para hotéis. Eu escolho um sempre bonitinho, porque nunca se sabe quando teremos de ir ao corredor (e quem poderemos encontrar). E se for verão, como é finalmenteeee o caso, suprimo os chinelos de quarto e levo apenas umas boas e sempre amigas havaianas, que servem também o propósito seguinte... sim, se estiver calor, esteja nos planos ou não, levo sempre um fatinho de banho, não vá a coisa descambar para a praia e depois ter de ir comprar um à pressa. O que nunca pode faltar também, porque mulher prevenida vale por duas, é um par de óculos de sol a mais e uma eterna jaqueta de ganga – que, sabem bem, é a salvação para a brisa fresca em qualquer (qualquer mesmo!) dos nossos looks.

Depois, o resto das coisas que levo depende muito do sítio para onde vou e o que está nos planos fazer. Para este post assumi que seria um fim de semana para passear, num sitio quente, e por isso montei dois looks. Além disso, apresento-vos ainda a sugestão praia (que já vos disse que levo sempre) e uma sugestão mais party, porque nunca se sabe por onde vai acabar a noite (e todas gostamos de estar compostinhas). Ainda assim, seja qual for o destino ou a finalidade, o essencial é levarmos peças que sabemos que nos assentam como uma luva (para evitarmos dramas de manhã), práticas, confortáveis e versáteis. Por um lado adoro vestidos e macacões porque com uma única peça sei que estarei ótima, mas por outro gosto de levar uns shorts ou uma saia, porque depois dão-me mil combinações.

E se há coisa que é importante ao fazer a mala para mim são os sapatos. Não gosto de sapatos sem graça, vocês sabem, e por isso aquela opção básica que parece encaixar em todo o lado nunca é a minha opção. Há outras, mais atrativas e igualmente práticas, que podem resultar, como é o caso deste chinelinhos da Zara, que acho a coisa mais fofa. E depois... depois depende do espaço que me sobrar, e se der ainda vou acrescentando alguns dos meus preferidos (mas sempre, sempre, se perceber que ficam bem em algum dos looks que escolhi. Levar só por levar já é uma coisa que está fora de questão).

Em termos de arrumação, não sei se há muito que vos consiga explicar assim. Normalmente arrumo as roupas em rolinhos, para poupar espaço e coloco a roupa interior e peças pequenas dentro de saquinhos nos espaços vazios. Posso-vos dizer que, muitas vezes, vou uma semana para fora com tudo numa mala de cabine. Sério! Mas nem sempre foi assim. É uma questão de priorizarmos o que queremos, realmente, levar e planearmos bem o que vamos usar.

Pronto, vou pensar bem no assunto e se pedirem com jeitinho ainda vos faço um vídeo sobre como enfiar uma semana inteira de vida numa malinha pequena. Que vos parece?

Até lá, espero ter ajudado!

09
Jun18

Mesmo assim, vou entrar com os dois pés nos 26!

emsaltosaltos

1C196CA0-C2A0-431B-8297-D8B2468A931B.JPEG

Este ano adiei o texto dos 26 para o último dia. Normalmente escrevo isto assim que penso na sessão e sai-me com uma naturalidade quase inata, mas este ano não. Este ano escrevia duas linhas e apagava. E repetia o processo infinitamente, porque nunca me parecia bem. E na verdade nunca esteve bem. Porque a entrada destes 26 ainda não estava explicada, e sobretudo a saída dos 25 concluída. 
Hoje, não há muito que vos queira dizer, além de que entro nos 26 (e felizmente entro!) com o coração cheio, de um amor que transborda e com os sorrisos quentinhos de quem gosta de mim e me quer tão bem. Hoje, entro nos 26 com a certeza de que nada tem hora e é sempre o minuto certo para dizermos "amo-te". Hoje, mal sopro as velas, mas vou trincá-las e ter a certeza, mais certa do que nunca, que só há duas coisa que desejo na vida: saúde e paz. Porque o resto, a gente corre efectivamente atrás. E, às vezes, é preciso que nos venham lá de cima chamar a atenção e voltar a pôr no caminho certo. Nesse em que o amor, e a paz, estão acima de tudo. 
Que sejam uns 26 em cheio, como foram os 25 até agora. E que me falte tudo, menos forças para sorrir!!!!

930A5AA2-2400-43BC-AE01-25AD330FF7EE.JPEG

 

90762D42-1EE5-4CAD-82E6-06D668CA681E.JPEG

 

562890E2-EB06-49EC-8A51-08C56051538D.JPEG

 

1776084C-4AFC-4943-81EA-93856C1A513D.JPEG

 

CD813ABF-03E3-4BD6-A4B6-70FD6CA533FE.JPEG

 

D7E0A42D-2747-4360-9F81-767AD3349C4E.JPEG

 

01
Jun18

Porque é que eu vou ao ginásio? | MISSÃO FIT, DESTA É DE VEZ! #3

emsaltosaltos

IMG_6551.jpg

Há dias uma amiga perguntou-me porque é que eu vou ao ginásio. De supetão respondi-lhe: para poder vestir tudo o que me apetece. Claro que as razões que me levam ao ginásio vão muito além disto, mas nesse dia estava a vestir estas calças que vos mostro nas fotografias e andava com a barriga de fora (que era coisa para a qual não tinha assim coragem já faz muito tempo) e então achei que era a resposta mais acertada.

Adoro vestir-me (vocês sabem). Adoro brincar com a moda e estar limitada naquilo que vestia nunca me agradou muito. Quando estava mais cheiinha, sabia que havia coisas que me eram proibidas porque não me fariam sentir bem. Evitava vestidos justos, camisolas curtas e roupas claras. E uma série de outras coisas. Agora, mesmo ainda longe de estar como quero, já consigo vestir (outra vez) tudo o que tinha no meu roupeiro dos tempos áureos, e há coisinhas que de largas já não dão para usar (e é o que se quer, que qualquer costureira resolve o problema).

Dizia-vos eu que há uma série de outras razões (claro que há!). Vou ao ginásio também muito por questões de saúde. Porque eu so tenho 25 anos e sentia-me presa num corpo a envelhecer muito depressa. Se me dissessem há dois meses quando isto começou que ia fazer 150 abdominais e outros tantos agachamentos sem pestanejar e ainda correr meia hora na passadeira eu diria que era impossível. Mas não há impossíveis - e essa foi outra grande lição que aprendi por lá. A superação, o querer sempre mais e o nunca nos acharmos incapazes é o que nos empurra para a frente. E o que nos vai dando, pouco a pouco, os resultados que queremos.

No meu caso, já vou vendo muitas mudanças no meu corpo (e no meu humor, e no meu estado de espírito, e na minha confiança). Mas, e deixem-me ser convencida, a maior (e melhor) mudança é já poder andar com a barriguinha de fora e saber que não vou ter vergonha dela na praia. Ainda não tenho uma tablet (e faz tempo que no frigorífico também não há disso), mas também já não tenho bóias. Tenho o meu corpo (que eu respeito e aceito), mas que estou a tentar tornar na melhor versão que ele pode ser.

 

IMG_6552.jpg

 

IMG_6553.jpg

 

IMG_7036.jpg

 

IMG_7037.jpg

 

IMG_7038.jpg

 

28
Mai18

E puff... fez-se o melhor look! #61

emsaltosaltos

IMG_6129.JPG

Há uma peça que, mal o sol se põe de fora, impera no meu roupeiro: vestidos! Quando mudei a roupa de estação é que me dei conta de que já somo várias peças destas (e que nunca me canso de juntar mais uma à coleção). Sou uma rapariga prática, e a ideia de poder estar ótima e elegante com uma só peça é das minhas preferidas. Talvez por isso juntei este queridinho este fim de semana aos outros que lá tenho em casa. É da Tiffosi, é prático e tem aquele tecido maravilhoso que não enruga sabem? É tudo o que uma pessoa pode querer. 

A juntar a isso, o Domingo esteve cheio de sol e calor para o poder desfilar nas ruas do Porto. E vocês, aprovam?

 

IMG_6128.JPG

 

IMG_6130.JPG

 

IMG_6131.JPG

 

IMG_6132.JPG

 

IMG_6133.JPG

 

IMG_6134.JPG

 

IMG_6135.JPG

 

IMG_6136.JPG

 

 

 

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Comentários recentes

  • Just_Smile

    Tenho de preparar a minha mala para 9 dias no Méxi...

  • Maribel Maia

    Muitos Parabéns e muito sucesso!!

  • Helena Duque

    Muitos parabéns, Ana! "Só há duas coisa que desejo...

  • Helena Duque

    Finalmente, um artigo honesto sobre ginasio e barr...

  • Anónimo

    O amor é das melhores coisas que o ser humano pode...