Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

emsaltosaltoss

28
Nov18

6 anos!

emsaltosaltos

EBE568E2-9DAA-4498-B1A5-199F39D4134E.jpeg

 

B622AD57-2FEC-4CBF-B77B-32B4E8F1B433.jpeg

 

BF15078E-7B1B-402F-B261-D12A4DC90CE3.jpeg

 

1D7B2F42-C49C-4A3A-8CDD-2CF9C263EE23.jpeg

 

2A2C6896-ADFE-4E8A-9BF9-1F2BD2088D53.jpeg

 

1C378907-A956-4B20-8508-68FA2357AC7A.jpeg

 

862141D5-BC0B-42D9-92E4-93D2BCA317A2.jpeg

Há coisas que só o destino explica. Estava de caderno aberto à espera de inspiração para escrever este texto, enquanto o meu professor de projeto apresentava a próxima fase do exercício. Às páginas tantas, em meio à minha distração, consegui ouvi-lo dizer que aprender a desenhar é sem dúvida mais fácil que aprender a andar. E que isso todos aprendemos - como quem nega a possibilidade de alguém não saber desenhar. Mas a mim não foi isso que me prendeu. Foi mais a dúvida de se ele sabe exatamente quanto custa aprender a andar. Felizmente, acho que não. Mas eu sei. Comecei a sabê-lo faz hoje 6 anos. Exatos 6 anos. Foda-se, como o tempo voa! 

E, ainda que tenha sido consideravelmente mais difícil que desenhar, foram os melhores 6 anos da minha vida. Ou talvez os únicos desta nova vida. 

Estas fotografias fi-las como quem quer assinalar a data. Como se fazem as do Natal ou de um aniversário. O meu corpo conta uma história - e, porra, sou mesmo sortida, porque disto não se podem todos gabar. Ela, a minha cicatriz, conta uma história. A minha história.

Há coisa de umas semanas falava com um amigo sobre isso. Sobre marcas. Inevitáveis. De histórias. E sobre escondê-las. Perguntou-me se alguma vez o faria. E tive a certeza na resposta: não. E tatua-la? Não! 

Acredito, cada vez mais, que nada nos acontece por acaso. E que, quase sempre, os males vêm por bem. E que as marcas são pins que ficam para nos lembrarem do que um dia foi. E eu quero lembrar-me sempre. Todos os dias. Às vezes com mais, às vezes com menos medo. Às vezes a chorar. Quase sempre a sorrir. Quero lembrar-me: porque isso me lembra de quem sou. E, inevitavelmente, de quem fui a partir daquele dia. 

E quero lembrar-me, todos os dias, de que já aprendi a andar duas vezes. Ora então, venham de lá esses desenhos - que, tem razão professor, não há de ser assim tão difícil.

 

 

 

23
Nov18

Sobre corpos perfeitos e outras merdas que não existem...

emsaltosaltos

 

656DFF07-2CE7-4BB2-B712-54137A13A0F8.jpeg

 

Tenho pensado muito sobre esta merda de ter o corpo perfeito. Tenho olhado muito para o espelho. E para o meu closet. E para mim própria. E para uma galeria fotográfica que não me deixa esquecer que nem sempre fui assim. 

Tenho pensado muito em qual seria o meu corpo perfeito. Assim se pudesse ser eu a escolher e a mandar tudinho, sabem? Mais magra? Mais definida? Com mais maminhas? Com menos rabo? Com uns bracinhos mais finos? Com um nariz direito? 

Não sei. Não sei mesmo. A primeira resposta que me ocorre é que gostava de ter um corpo mais bem aceite socialmente. E, honestamente, nem sei o que isso é. Acho que é ser mais magra. Com umas pernocas pouco rechonchudas e um rabiosque que não salta à vista. Ou talvez não seja nada disto e eu ache erradamente que é. 

Não tenho o corpo que quero. Mas nunca tive. Nem quando era magra. Nem quando era loira. Nem quando era mais gorda. Nem quando era morena. Mas será que alguma vez temos, realmente, o corpo que queremos? Tenho amigas fit, boas c'ómo diabo, com tudo no sítio, e que mesmo assim passam a vida a queixar-se. Porque somos uns insatisfeitos por natureza.

Sou saudável, até à data. Como com excessos, de quando em vez, mas também respeito tudo aquilo que dizem que faz bem. Não fumo, não bebo e não me drogo. Potencialmente estou a fazer tudo para ter o corpo perfeito. Se o corpo perfeito for o que nos permiti viver saudáveis, sem desconfortos e sem dores, dentro dele.

Mas não tenho o corpo que gostava de ter. O que gostava de desfilar na praia. Um corpo mais parecido com os outros corpos que nos dizem que são bonitos, sabem? Mas a verdade é que também nunca deixei de desfilar, nem na praia nem em lado nenhum. Graças a Deus!

Honestamente, acho que nunca me apaixonei pelo corpo de ninguém. Ou seja, nunca foi assim a forma física invejável que me fez investir em alguém ou numa potencial relação. É mais o pacote completo. A forma como se arranja, como enche uma sala quando entra, como sorri, como se entrega e como me faz entregar. E, talvez por isso, não acredite em corpos perfeitos. Pelo menos em corpos perfeitos que conquistem. Sei que se pudesse ostentar uma prateleira um nadinha maior ou um rabiosque mais empinado talvez notasse mais aproximações. Sabemos todas isso, não é? Mas também sabemos que um gelado cúmplice à meia noite no sofá ou um jantar (mega calórico) às luz das velas ou não, faz muito mais ficar do que um par de mamas. 

Eu não me importo se o meu namorado não tem um tanquinho. Eu não o conquistei para lavar roupa. E nem quero que ele se importe por eu não ter uma cinturinha de vespa, porque não fiquei com ele para desfilar cintos. Eu só quero fazê-lo sentir-se o homem mais bonito do mundo, independentemente do espelho e da balança. E quero sentir-me, ao lado dele, um anjo digno da Victoria. Quero saber que agora me deseja tanto como quando me conheceu. E que me vai desejar da mesma maneira depois dos oitenta. Quando tudo o que restar for um sorriso. Porque afinal, o corpo perfeito é tanto disso. É o corpo que nos permite viver a vida que temos a certeza que nos faz feliz. O resto são padrões. Que mudam.   

19
Nov18

E puff... fez-se o melhor look! #62

emsaltosaltos

Não tinhamos look aqui pelo estaminé há muito tempo. Vossas excelências desculpem a ausência, prometo agora voltar ao ativo com maior frequência. 

Para hoje, temos fotinhas básicas (que a chuva não deixou mais), mas uma saia que eu amo muito e que vai ser das minhas melhores amigas para este inverno, tenho a certeza. E vocês, aprovam?

3.jpg

 

1.jpg

 

2.jpg

 

 

 

Casaco | Zara

Saia | Tanara

Botins | Seaside

Mala | (adorava dizer-vos, mas não me lembro)

 

 

11
Nov18

São casacos, senhor...

emsaltosaltos

O casaco (sobretudo, trench,... o que lhe quiserem chamar) são A peça do outono/inverno. Porque, no limite, são eles que se vêem no look. Não adianta estarmos lindonas e compostas por baixo se, pelo menos na rua, andarmos com um casaca matrafão por cima. 

Pois bem, e a pensar nisso, e em que não vos falte nada, fiz uma seleção de alguns casaquinhos giros e quentinhos que estão por aí nas lojas e que vocês deviam agarrar já! Que vos parece? 

E, desta vez, coloquei os links diretos na legenda da fotografia. Que acham da novidade? :) Ah pois é bebes, sempre a pensar em facilitar-vos a vidinha! De nada, de nada!

 

Captura de ecrã 2018-11-11, às 14.46.26.png

 

Captura de ecrã 2018-11-11, às 14.46.23.png

Captura de ecrã 2018-11-11, às 14.46.21.png

 

 

1 - Stradivarius | 2 - Stradivarius | 3 - Zara | 4 - Zara | 5 - Zara | 6 - Zara | 7 - Lefties | 8 - Bershka | 9 - Bershka | 10 - Mango | 11 -  Mango 

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Comentários recentes